Veganismo aos 60

Olá! Meu nome é Jaqueline Carvalho. Eu e meu marido Fernando Oliveira vamos compartilhar neste espaço como vem sendo a mudança de vida de um casal de 60 anos que transformou tudo após conhecer o veganismo. 

Minha mudança começou no dia 08 de janeiro de 2019.

Mudança radical começando pela alimentação e depois outras mudanças se seguiram… mas esse é assunto para mais tarde.

Ao chegar no Rio de Janeiro, fui recepcionada com a noite do hambúrguer feito pelo pessoal onde estava hospedada (na casa da minha nora e do meu filho). Foi a primeira noite que me deparei com o tal do hamburguer vegano. Um hamburguer feito de soja… nunca nem se quer tinha visto. Havia também hambúrguer de carne animal.

Só para manter a esganação comi dois e, é lógico (na época não fazia ideia do motivo), que não consegui dormir a noite. Sentia um peso no estômago que não passava de forma alguma e foi aí que parei para pensar:

 – Isto é um alerta…..algo dentro de mim está me dizendo “comer animal morto, como assim? comer célula morta?”. 

Isso é o que realmente estava pesando em minha barriga e principalmente em minha consciência. Então veio a decisão: “NÃO COMEREI MAIS ISSO”.

Vi alguns documentários (assista What The Health se você se importa com a sua saúde), li alguns artigos que me fizeram acreditar que a decisão havia sido muito acertada.

Uma das informações que obtive era de que ao comermos carne estamos fazendo um animal entrar e ter sofrimento, um ser vivo matando outro. E ninguém nem é preso por isso. Fiquei indignada.

Comecei então a receber outras informações sobre alimentos de origem animal como leite, queijos, presunto, etc. Tudo é derivado do mesmo sofrimento, da mesma dor. 

Imagine que um torneiro é tirado de sua mãe para que nós, seres dito humanos, tomemos o leite que seria do seu filhote?

Conseguem  absorver e conviver isso?

Troquei tudo e fui taxada de RADICAL e até desprezada por muitos (acredite)!! 

Mas eu sinto que estou fazendo/agindo de forma que deito minha cabeça no travesseiro e sinto minha consciência tranquila/leve e continuarei agindo assim desde que me sinta bem comigo e com o mundo que vivo. 

As mudanças que venho colhendo são inúmeras: desde físicas até emocionais.

Hoje já faço coisas mais profundas como meditar, usar japamala, fiz mudanças em meu visual; meu filho fez um cantinho energético em minha casa (na cozinha), comprei uma cama nova, fizemos limpeza geral na casa, no pátio. E depois disso tudo, sinto minhas energias renovadas, mais vontade de tudo.

Eu realmente sinto muitas transformações em meu corpo, inclusive sinto que desinchei muito o que me leva a crer que a ingestão alimentos de origem animal faz com nosso corpo. Meus exames médicos têm me mostrado que estou no caminho certo, e em breve vou compartilhar números e informações com vocês. 

É um grande desafio mudar após 60 anos de outros hábitos, costumes e memórias emocionais. Mas a vida que venho construindo não tem preço. A mudança é possível em qualquer idade. Se estamos vivos, vamos viver, não é mesmo? 

E para você aproveitar a vida hoje, deixo aqui uma receitinha incrível que eu produzi:

Receita de Manteiga Vegana!

Espero que você possa assistir ao documentário (que não contêm cenas de animais sendo sacrificados) e priorize a sua saúde, mental e física. Juntos e juntas podemos construir um mundo melhor e uma saúde incrível!

One Comment

  1. Pingback: Como podemos curar a Mãe Terra? | | Eu Sagrado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *