Que saúde é essa?

Essa foi a pergunta que marcou o começo de uma transformação eterna em minha vida. Mas essa história começou muito antes, quando resolvi não aceitar viver sob a condição de um diagnóstico médico, mas eu só me dei conta disso alguns anos depois e vou te contar como. 

Imagine que você está participando de um jogo onde existem regras, modelos de jogar e coisas que, se você as fizer em algum momento, poderá ser punido se não tiver como dar algo, em troca pela punição, aos criadores das regras. Esse jogo se chama “sistema”.

 Todos nós temos sistemas que funcionam dentro e fora de nós, mas existe um que está ao seu favor, e o outro nem tanto.

 O processo que quero compartilhar contigo é sobre um diagnóstico de pré-síndrome do pânico aos 23 anos com administração contínua de Rivotril para os ataques e 1 comprimido de Procimax (antidepressivo tarja preta) ao dia por 6 meses e, se fosse possível, um acompanhamento psicológico.

 Como assim, se possível?

 Que sistema de saúde é esse que prefere remediar a minha situação ao invés de entender o que realmente pode estar acontecendo comigo?  E quando decidi depois de 30 dias parar de tomar um remédio que me fazia dormir 3 minutos depois de ingerir, mudanças significativas aconteceram em mim e, conseqüentemente, na minha vida.

 Bom, mas voltando a falar de sistemas, o que desejo que você se questione aqui é: de que forma você tem nutrido seu corpo por meio de sua boca, seus olhos e ouvidos?

 De qual sistema você entende mais: o das funções de cada remédios ou o de cada alimento?

 Veja bem, não estou incentivando você a fazer o mesmo, apenas te contando a minha experiência com esse episódio da minha jornada.

 O que intenciono com esse texto também não é um desabafo, mas um alerta para chamar sua atenção para uma chave de transformação de vidas chamada alimentação, e te dizer que você tem 100% de poder sobre ela, se assim desejar, pois ela faz parte do seu sistema original.

Talvez você esteja se perguntando, o que essa história pode ter a ver com alimentação, e eu respondo a você com a experiência de quem já vivenciou 5 tipos de alimentação: 100% de toda ela.

 Antes, vamos trazer uma compreensão importante para o exercício que iremos fazer a seguir:

  • Nós temos a necessidade de nos alimentarmos para que nosso corpo receba nutrição e seu sistema funcione perfeitamente. Faz sentido, certo?
  • Se seu sangue, que carrega as células com informação daquilo que você põe pra dentro do seu corpo, passa por seu cérebro, então tudo que você come passa pelo seu cérebro, certo?
  • Faz sentido também que todos os alimentos, exceto os de origem animal, são feitos a partir de plantas (legumes, verduras, frutas, flores e etc…)?
  • Acreditando que essa compreensão ficou clara para você, pergunto: então por qual razão ainda nos alimentarmos com produtos alimentícios que não tem mais de 20%, quando não é zero, da nutrição real que nosso sistema precisa?

Como eu não pretendo deixar de te contar o que eu acredito que faz muito sentido pra mim, te convido a um exercício que irá facilitar sua compreensão.

 Imagine uma folha em branco ou pegue uma e desenhe o esquema que eu vou descrever;

 Ao centro, temos nosso corpo, com 4 meios originais e naturais de receber e captar informações: olhos, ouvidos, bocas e nariz.

Acima do corpo a palavra nutrição. Agora você pode dedicar um tempo e puxar setas saindo da palavra nutrição e escrever na ponta de cada uma delas os tipos de alimentos que você come no seu dia a dia.

 Parabéns, você acabou de desenhar ou visualizar o mapa interno do que tem dentro do seu corpo. Tendo isso, vá um pouco mais fundo para buscar a origem de cada ingrediente das refeições que você fez, todos ou o maior número que você puder lembrar.

 Agora reflita sobre as seguintes questões:

  • Quais desses alimentos não foram industrializados?
  • Quantos ingredientes dessas refeições estão saudáveis e são de verdade?
  • Quais desses alimentos foram plantados com sementes não criadas em laboratórios?
  • Quanto desses alimentos não estão carregando sangue com DNA contendo memórias de medo, dor, sofrimento, angústia, a morte por opressão, hormônios, remédios em doses para animais, bactérias que são boas para os animais, porém nocivas ao corpo humano?

 Talvez nesse momento você esteja questionando seus hábitos (ou não, isso é uma escolha pessoal) tanto quanto eu me questionei quando essa pergunta chegou em minha vida aos 30 anos: que saúde é essa?

 Estamos em um momento onde várias doenças como câncer, diabetes, hipertensão e ainda disfunções de nosso sistema nervoso estão tendo suas curas cientificamente comprovadas com a mudança para uma alimentação a base de plantas e com zero% de produtos de origem animal.

 E falando de sistemas, nossa alimentação é parte principal do sistema social em que vivemos, e quando não nos questionamos com relação ao que estamos comendo e por quê, o caminho é um só: má nutrição > mau funcionamento do corpo todo > disfunções dos órgãos e mentais > doença > remédio > hospital > você vítima do sistema.

 E sua saúde mental?

 Já parou para se questionar que os produtos de origem animal são levados até você por meio de sofrimento, abuso, dor, medo e muita morte? E que tudo isso está registrado no DNA do produto que saiu do animal, levando esses sentimentos a terem contato com seu intestino, que é o órgão que reconhece a informação dos sentimentos e envia para o cérebro a codificação de qual sentimento é aquele?

 Se você se alimenta de dor, sofrimento, abuso, medo e morte, como acredita que estará seu DNA? Como estará sua energia? Seus pensamentos?

Se você se alimenta de algo que não nutri você de verdade, como acredita que deve estar sua saúde hoje?

E se você tiver esperando ou já tem filhos e filhas, o que você dará de alimento para eles?

E pense também para onde vai o lixo que nossa alimentação resulta, isso interfere também na saúde do solo onde vivemos e plantamos, na saúde dos lençóis de onde vem a água que saem das torneiras, na saúde dos mares onde nos banhamos, no ar que respiramos e nossos filhos e filhas irão viver conosco e depois que nos formos.

 E aqui te pergunto: que saúde é essa que você tem hoje?

 Quando nosso corpo não é nutrido de forma que faça sentido, ele começa a perder o sentido de funcionar, ou funcionar sem sentido, e é aí que as doenças e disfunções começam e também é aqui que essa história se conecta com a da minha infância do sonífero da creche: meu corpo deixou de funcionar, pois seu sistema não estava sendo bem alimentado.

Depois de 30 anos, com uma alimentação deturpada, focada no que haviam me ensinado que dava prazer ao invés da sua real função, que a nutrição do corpo e da mente, passei a vivenciar uma jornada pela busca da harmonização em meu estilo de vida.

 Deixei de consumir produtos de origem animal e pude ver tudo a minha volta se transformar e acontecimentos que me fizeram muito bem com seus aprendizados.

 Vi dores desaparecerem do meu corpo, minha clareza mental aumentar, não ter a mínima necessidade de tomar um remédio. Nunca mais tive dor de qualquer coisa, resfriado eu até esqueci como é!

 Tudo muda.

 Suas relações com as pessoas, consigo mesmo. Claro que algumas coisas serão desafiadoras, mas as melhoras são verdadeiramente recompensadoras e seu crescimento pessoal e espiritual ganham outra dimensão.

 Se você está em busca de amor próprio, saúde mental e espiritual, aconselho começar a fazer uma análise da sua relação com sua alimentação e nutrição por meio dos ouvidos e dos olhos. Nosso corpo se alimenta de várias formas, mas o sistema social quer que você veja apenas da forma deles.

 Por tanto, escolha com amor e atenção qual sistema você quer ver funcionando perfeitamente em sua vida.

__________________________________________________________________________________________________________

 P.S:  ‘Que saúde é essa?’ em inglês é ‘What the health? ‘ é título do documentário (tem no Netflix e no Youtube também) que abriu meus olhos para um lado muito mais profundo sobre o futuro que eu estava construindo para minha vida com os hábitos alimentares que eu estava tendo. Sugiro muito que você assista.

Ahh, ele fala sobre saúde e não tem nenhuma cena de morte de animais ou coisa parecida. Fala sobre o sistema da indústria da carne, do leite, dos hospitais, das farmácias e por aí vai.

 E se faz sentido pra você aprender mais sobre isso, no @namasjey eu também falo sobre esse assunto!

 Ahô e desejo que seus questionamentos transformem sua vida para aquilo que você deseja que ela seja <3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *